25/09/2017, 13:14

Denise Cursino

Dia do Homem: Unimed Catanduva incentiva cuidados com à saúde

UNIMED- Dia do homem

 

 

UNIMED- Dia do homem

Mulheres também têm papel fundamental no incentivo para que os homens se cuidem mais

No próximo dia 15 de julho é comemorado o Dia do Homem. A data também é voltada para conscientizar sobre a importância da saúde e bem-estar do sexo masculino, que muitas vezes é deixada de lado.

Para o urologista e cooperado da Unimed Catanduva Dr. Sérgio Luis Tagliari, os homens ainda encontram dificuldade em assumir que necessitam de orientação médica. Porém, acredita que, aos poucos, este conceito está mudando. “Por meio de divulgação na mídia, principalmente pela televisão, que abrange a população de baixa renda, internet para alguns e, também, as ações de promoção de saúde de grandes empresas, é possível detectar um aumento no número de consultas realizadas aos pacientes do sexo masculino”, disse.

De acordo com o especialista, as mulheres também têm papel fundamental no incentivo para que os homens se cuidem mais. “Os homens buscam ajuda ou aconselhamento médico por imposição das namoradas, esposas, mães e irmãs As mulheres são as mais preocupadas com a saúde, devido talvez à fatores ligados à parte ginecológica”, destacou.

Mesmo que aparente estar tudo bem com a saúde, realizar exames de prevenção regularmente é sempre o indicado. Descuidar-se pode favorecer o aparecimento de doenças, como explicou o urologista. “O homem pode desenvolver doenças ligadas ao sedentarismo, a obesidade, ao consumo de álcool, cigarro e drogas ilícitas. Na minha área, são diagnosticados muitos tumores ligados a estes mal hábitos”, informou.

O urologista ainda afirmou que grande parte dos homens evita realizar qualquer tipo de tratamento, com medo de ser detectado com o câncer de próstata, que pode causar a disfunção erétil, mas que muda de opinião quando passa ter ciência que o não tratamento, pode colocar em risco a própria vida. “Quando o médico avisa que há risco de morte, o paciente faz o tratamento”, afirmou.

Disfunção erétil

A disfunção erétil pode afetar 30% dos homens entre os 50 e 60 anos, 40%, entre 60 e 70 anos, e 50%, após 70 anos. O especialista explicou que as falhas de ereção, não querem dizer que a disfunção seja permanente, porém são as falhas constantes que levam os homens a procurar um médico.

Ainda de acordo com Dr. Sérgio, o uso de bebidas alcoólicas em excesso prejudica a função sexual do homem. O alcoolismo faz com que o homem apresente níveis muitos baixos de testosterona, por mecanismo hormonal e hepático, com diminuição acentuada da libido.

Já no caso de baixas doses de bebida alcoólica esporadicamente ajuda na disfunção ejaculatória, com o aumento de tempo para ejacular. O uso de cigarro pode diminuir o fluxo sanguíneo para a região genital (pênis, testículos, próstata) prejudicando ereção satisfatória. Seu uso combinado em dependência química piorará o quadro de disfunção erétil.

Para disfunção masculina, há no mercado pílulas hormonais que realizam a reprodução de testosterona. Entretanto, de acordo com o urologista não são as mais indicadas. “As pílulas hormonais para homens são pouco usadas devido ao risco de câncer de fígado. Mais frequência são os hormônios injetáveis, ou tipo de desodorante subaxilar e com menos gel hormonal”, explicou.

No caso dos medicamentos: Viagra, Uprima, Cialis e Levitra, o urologista explicou que são seguros, mas, que não devem ser ministrados em paciente que faz uso de dilatadores coronarianos (isordil e outros) ou medicamentos para hipertensão arterial. “Pode causar dependência psicológica e deve ser usado apenas em pacientes que precisam do estimulante sexual, nunca em jovens”, alertou.

Daem

Assim como as mulheres que têm os sintomas da menopausa, o homem também pode desenvolver o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (Daem). “É um conjunto de sinais e sintomas que aparece durante o passar dos anos, como a diminuição da libido, falta de energia, redução da força muscular, perda de altura, tristeza e mal humor, ereções menos vigorosas, diminuição da capacidade esportiva, sonolência após jantar, e piora no desempenho profissional”, detalhou Dr. Sérgio.

Viver com saúde    

Para o homem chegar aos 80 anos ou mais e com saúde, a recomendação do urologista Dr. Sérgio é de que comece cedo com a prática regular de exercício físicos, mantenha o controle do peso, beba pouco (em especial destilados), não fume, coma moderadamente com pouca gordura e pouca carne vermelha. Pratique exercícios mentais, passeios, viagens, controle estresse, e se possível tenha oito horas de sono por noite.

Fonte: Patrícia Santos – Comincações Unimed

 

Comentários