24/04/2018, 02:50

Denise Cursino

Show Dona Encrenca só muda o endereço na Sala Baden Powell, em Copacabana

dona 1

Fonte: João Luiz Azevedo – BOCA FECHADA Produções Artísticas – Produtor – Assessor de Imprensa

Fotos: Divulgação

Depois de 03 anos sem se apresentar no Rio de Janeiro, BEMVINDO SEQUEIRA  volta com seu divertidíssimo stand up DONA ENCRENCA SÓ MUDA O ENDEREÇO, em 05  únicas apresentações na Sala Municipal Baden Powell ( Av. Nossa Senhora de Copacabana 360 – Tel, 2255-1067) as segundas feiras,  nos dias 15, 22 e 29 de janeiro e 19 e 26 de fevereiro/2018, sempre as 19h.

 Bemvindo Sequeira, que interpreta atualmente o avarento ‘Conde Páris’ na novela ‘BelaVentura’ da Rede Record de televisão e ficou conhecido nacionalmente quando interpretou o personagem ‘Bafo de Bode”, na novela global ‘Tieta”(1989) , logo depois o ‘Brasilino Roxo’ na ‘Escolinha do Professor Raimundo’ (1993) e, em seguida o ‘Zebedeu’ na novela da Rede Manchete,  ‘Mandacaru’ em 1997, garante 60 minutos de gargalhadas ou o dinheiro do ingresso de volta!!!

É isso mesmo, 60 minutos de gargalhadas, ou o dinheiro de volta!!!

 DONA ENCRENCA SÓ MUDA O ENDEREÇO é assim: um stand up para a família sobre a relação marido x mulher.

Bemvindo brinca com a relação marido e mulher por meio de situações corriqueiras, com as quais a plateia comumente se identifica. É fácil perceber na plateia os casais se cutucando e rindo das situações apresentadas pelo humorista.   A exemplo da mulher que conversa com o apresentador do telejornal e que comenta sobre a novela ao mesmo tempo em que os assiste ou ainda a que se queixa do desempenho do marido ao volante.

O ator reforça, no entanto, que o espetáculo nada tem de machista e que é uma homenagem à sua mulher, Dóia Sequeira:

— É um brinde à alma e ao olhar da mulher, e brinca justamente com nossa limitação frente a elas. Nós homens fomos criados achando que somos os donos do mundo, mas na realidade elas são as donas da situação.

O espetáculo foi idealizado a partir de um papo com um taxista durante uma corrida.

— Eu vinha contando casos sobre a minha mulher, e ele perguntou se eu andava dormindo com a mulher dele, pois ela era igualzinha, só mudava o endereço — diverte-se o ator. — A graça (do show) vem justamente porque são situações comuns à maioria dos casais, que riem e se cutucam, reconhecendo-se.

Com a leveza e a ingenuidade do humor tradicional, a peça, diz Bemvindo, é indicada não só para casais, mas para toda a família que busca uma noite divertida.

— É diferente dos shows de stand up dessa nova geração de humoristas, que tem uma pegada mais americanizada, com tiradas muito rápidas. É um show contemporâneo, com situações atuais, mas com um humor clássico, da minha geração. Sou a relíquia do humor — brinca o ator, que completou em 2017, 70 anos de idade e 51 de carreira.

Na verdade, Bemvindo Sequeira é um DINOSSAURO DO HUMOR, o único e último dos humoristas antigos, a se apresentar nos palcos, atualmente… Costinha, Chico Anysio, Dercy Gonçalves, José Vasconcellos, Geraldo Alves… já não estão mais entre nós e JÔ Soares, Agildo Ribeiro, Berta Loran, Fafy Siqueira entre alguns poucos outros, não fazem mais shows solos…

O que se tem no momento, é a nova geração de humor – Fabio Porchat, Paulo Gustavo, Marcos Veras, Marcelo Adnet, Leandro Hassum, Marcius Melhem… todos fãs do Bemvindo Sequeira – que são excelentes, mas fazem um humor diferente do que o Bemvindo vem fazendo nesse seu novo show e em toda sua carreira de mais de 50 anos.

Reverenciado por jovens humoristas como Marcos Veras, Fabio Porchat, Paulinho Gogó, Paulinho Serra, entre muitos outros, segue abaixo, alguns comentários de quem já assistiu o show, em temporadas passadas e fez questão de comentar:

Rodrigo Monteiro (critico teatral e Jurado do Prêmio de Teatro da APTR) escreveu sobre o espetáculo: “Dona Encrenca Só Muda o Endereço” é o stand-up comedy de Bemvindo Sequeira, um dos maiores comediantes vivos desse país… a produção garante mais de 1h30min de gargalhadas. O texto é baseado em anedotas sobre o universo dos casais já próximos da velhice: as diferenças entre homens e mulheres, o enfrentamento dos desafios da velhice,  a comparação entre velhos e jovens, os valores no mundo de hoje e os de outrora.  Sem a criação de tipos, mas com visível esforço na sustentação de um personagem cheio de nuances, Bemvindo Sequeira usa o ritmo da comédia e seu carisma em prol da estruturação de um monólogo muito engraçado. Tudo o que tem de conservadora, a peça também tem de politicamente incorreta. Tudo o que, na dramaturgia desse espetáculo, pode ser chamado de ingênuo também pode ser visto como irônico. Machista, sexista, elitista, preconceituoso, o personagem-narrador, aristotelicamente trazendo à superfície o que há de pior no ser humano, passa diariamente por agruras de vários tipos, fazendo com que qualquer espectador rapidamente se identifique, mas também se distancie.   Ao longo da peça, a relação com a plateia é conduzida excelentemente: o público ri de si mesmo, talvez de nervoso e de decepcionado de si próprio, para, em seguida, refletir. Com fortes marcas de ingenuidade, a performance do comediante diverte, mas deixa claro que expõe todas as mazelas sociais que são reproduzidas diariamente ou com as quais se concorda infelizmente de forma que, dadas as contradições, fica-se diante de uma sociedade complexa que é , ao mesmo tempo, humana e fria.   Por tudo isso, “Dona Encrenca Só Muda o Endereço”, embora pareça boba e despretensiosa, é, na verdade, um excelente retrato que a boa comédia pode devolver ao homem por trás do ingresso. Longe de produzir alienação, o humor negro de Bemvindo merece os mesmos elogios pelos mesmos motivos que atualmente se costuma dar ao norte-americano Nicky Silver, por exemplo.   O maior mérito, e segurar a atenção da plateia por mais de noventa minutos é algo dificílimo, é o de fazer o personagem rir de si mesmo. Disso pode advir o carisma que esse stand-up comedy apresenta enquanto gênero. Localizado no proscênio, o ator fala com o público sobre si mesmo, variando o tom na medida em que as repostas vão sendo recebidas. Com mais de 50 anos de carreira,   Bemvindo Sequeira ganha aplausos renovados por oferecer, de jeito simples e valoroso, a alegria necessária tanto quanto e com igual mérito de todos os outros sentimentos e sensações. Aplausos!

Berta Loran (atriz comediante): Esse show é ótimo e o Bemvindo está muito bem! É show pra ficar muito tempo em cartaz e viajar o Brasil. Parabéns!!!

Luiz Fernando Guimarães (ator): Muito bom! O publico morre de rir e se identifica com as historias contadas por ele (Bemvindo) o tempo todo…

André Lucas (humorista): Além de um brilhante, ator. Seu show de humor é sensacional!

Jane Di Castro (atriz transformista): Adoro o Benvindo. Ele é uma aula para os jovens comediantes.

Oscar Francisco (diretor de novelas na Rede Globo): Adorei!!!..Risada garantida, de doer a barriga…

Sergio Ricardo (radialista e humorista): Espetacular!! É a prova mais viva de que o artista de verdade, o talentoso, o genial, aquele que tem, de fato, a força da arte dentro de si, é sempre um íntimo amigo do tempo!! Os dois juntos, ele e o tempo, são incomparáveis!!

Jaguar em ‘O Pasquim’: Bemvindo Sequeira é uma metralhadora vibratória. Nada escapa ao seu humor demolidor. Não é todo dia que surge um humorista no Brasil. Isto é uma coisa de décadas e essa, nos deu o Bemvindo.

Sábato Magaldi (critico teatral da Folha de São Paulo): Bemvindo Sequeira,é sem sombra de duvidas, um dos melhores interpretes do Brasil.

Flavio Marinho (quando ainda era critico do Jornal O Globo): Generoso e talentoso, Bemvindo Sequeira chega em boa hora no panorama do humor brasileiro.

Quem não conhece o BEMVINDO SEQUEIRA?

Na Tv ele foi: o “Bafo de Bode” em “Tieta”, o “Delegado Noronha” na novela “Felicidade”, o “Brasilino Roxo” na “Escolinha do Professor Raimundo”, o “Lupicínio” em “Tocaia Grande”, o “Zebedeu” em “Mandacaru”, o “Seu Celestino” no “Tecendo o Saber”- projeto educacional do Instituto Paulo Freire – o “Alfredo Dias” em “Cidadão Brasileiro”, o “Clemente Palhares” em “Bela, a Feia”, o “Dorivaldo” em “Dona Xepa”, o “Tufik Abdala” de “Pecado Mortal”, o personagem “Emaré” em “Milagres de Jesus”, o “Baruk” em “os 10 Mandamentos”, o “Paris La Rosie, o Conde de Siena” de Belaventura pela Rede Record, além do “Arnaldo” do seriado “Vai Que Cola”.

No teatro, nos anos 80, apresentou seu primeiro show solo “O Dia Que o Brasil Tomou Doril”, em seguida, na época das Diretas Já, fez muito sucesso com “Oxente Gente, Bemvindo Prá Presidente!”… nos anos 90 fez todo mundo rir com shows solos como “Ri Melhor Quem Ri Bemvindo”, “Pelo Humor de Deus” e “Um Brasil de Risadas” que apresentou por todo o Brasil.

Em teatro ele foi dirigido pela grande Bibi Ferreira em 2 ocasiões: em “Roque Santeiro – O Musical” de Dias Gomes e “Deus Lhe Pague”, de Joracy Camargo, onde interpretou o personagem em que o grande ator Procópio Ferreira, se consagrou.  De Dias Gomes ele protagonizou também “As Primícias” sob a direção de Sydnei Cruz. Do comediógrafo João Bittencourt, ao lado de Jorge Dória, apresentou o clássico “Bonifácio Bilhões” além de sua tradução e adaptação para o clássico de Moliére “O Doente Imaginário”.  Com a comediante Berta Loran ele dividiu a cena em “Pais Criados, Trabalhos Dobrados”, com Fafy Siqueira em “Camisa de Força” e com a Suely Franco, na comédia de Chico Anysio “Há um Homem na Minha Casa”.

Entre muitos outros sucessos, participou da montagem original do antológico “Por Falta de Roupa Nova… Passei o Ferro na Velha” de Abílio Fernandes com a Henriqueta Brieba, além de comédias de Gugu Olimecha como “A Louca de Bonsucesso”.

Poucos atores fizeram tanto o publico rir – muitas vezes, gargalhar – como ele!

Vale muito a pena Conferir!

 Serviço:

DONA ENCRENCA SÓ MUDA O ENDEREÇO

Texto, Direção e Interpretação: Bemvindo Sequeira

Produção, Promoção & Assessoria de Imprensa: BOCA FECHADA Produções e Promoções Artísticas.

Dias 15, 22 e 29 de Janeiro e 19 e 26 de fevereiro / 2018

Segundas  feiras  – 19h

Sala Municipal Baden Powell

Av. Nossa Senhora de Copacabana 360 – Copacabana

Capacidade: 500 lugares

Ingresso: R$ 50,00 / R$ 25,00 ( idosos a partir de 60 anos e estudantes )

Duração: 60 minutos

Classificação: não recomendado para menores de 14 anos

Gênero: Stand Up Comedy

Comentários