19/10/2018, 10:50

Denise Cursino

Coração do HCC, acelerador linear chega a Catanduva

SONY DSC

Fonte e foto: Mauro Assi – Assessoria de Imprensa da FIPA

O acelerador linear, aparelho que faz a radioterapia, que pode ser considerado o coração do Hospital de Câncer de Catanduva/HCC e adquirido pela Fundação Padre Albino para o seu Serviço de Radioterapia em março de 2017, chegou a Catanduva na manhã desta terça-feira (15). Ele estava no porto seco de Barueri desde 11 de janeiro para cumprimento dos trâmites burocráticos para sua liberação.

Em entrevista coletiva no prédio da Radioterapia, o presidente da Diretoria Administrativa da Fundação, Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, informou que de acordo com dados do Departamento Regional de Saúde (DRS) em 2016 em Barretos e Rio Preto foram feitos mais de 31 mil procedimentos oncológicos (radioterapias, quimioterapias, cirurgias, tratamento ambulatorial, entre outros) em pessoas dos 19 municípios que serão atendidos pelo HCC. “Todo esse atendimento vai ser feito em Catanduva; aliás, boa parte já vem sendo feita, através dos novos casos que não estão mais indo para aquelas cidades”, disse ele.

Amarante disse que a expectativa é que o equipamento esteja pronto para atender aos pacientes até o final deste ano. “A instalação demora de três a quatro meses; depois há o treinamento da equipe que vai operar o equipamento, a liberação pela Comissão Nacional de Energia Nuclear e a habilitação do Serviço”, explicou.

O presidente ressaltou que foi angustiante a espera pela chegada do acelerador que acabou coincidindo com a comemoração dos 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva. “Parece que foi até ação do Padre Albino, seguramente o maior homem que Catanduva já teve na questão da promoção humana e assistência social. Se conseguirmos entregar esse aparelho funcionando até o final do ano nós conseguiremos presentear Padre Albino por tudo o que ele fez por Catanduva”, considerou ele.

Amarante falou que esse era um sonho da Fundação, que ele abraçou e se concretizava na sua gestão, mas fez questão de dizer que tudo começou nas gestões dos ex-presidentes Dr. Olegário Braido e Dr. Geraldo Paiva de Oliveira. Ressaltando que a Fundação Padre Albino é apartidária, lembrou a importante atuação dos políticos locais, o ex-deputado estadual Geraldo Vinholi, os deputados estaduais Beth Sahão (PT) e Marco Vinholi (PSDB) e o deputado federal Dr. Sinval Malheiros (Podemos), na busca por recursos para a Radioterapia.

Por fim, Amarante disse que agora só espera a liberação de R$ 2 milhões, já publicada no Diário Oficial do Estado, mas ainda não creditados na conta da Fundação Padre Albino, pois para o término da infraestrutura do Serviço de Radioterapia faltam ainda os serviços complementares de instalação e acessórios para o acelerador linear, aquisição do mobiliário, paisagismo da área externa, comunicação visual, informática e estrutura metálica para interligação entre o Serviço e o Hospital Emílio Carlos. O Serviço de Radioterapia terá capacidade para atender de 100 a 120 pacientes/dia através do SUS, convênios e particulares.

Após a coletiva, num ato de prestação de contas à população, que colaborou intensamente nas campanhas de arrecadação de recursos para o HCC, foi feita carreata com o equipamento pelas ruas e avenidas centrais da cidade, a partir das 17h00, com a participação da diretoria da Fundação, funcionários e voluntárias, num total de 65 veículos.

De acordo com a Guarda Civil Municipal, que juntamente com o Corpo de Bombeiros acompanhou a carreata, o público atingido foi de 15 mil pessoas, sendo que não houve nenhuma intercorrência. Muitas pessoas, durante o trajeto, aplaudiram, acenaram e se emocionaram, comemorando com a Fundação essa grande conquista para Catanduva.

SONY DSC

SONY DSC

Comentários