19/10/2018, 10:51

Denise Cursino

São Paulo recebe segunda edição do Fórum Exploração Sexual Infantil

cartaz

Fonte: MktMix Assessoria de Comunicação

Foto: Divulgação

Evento contará com a presença do ministro de Direitos Humanos Gustavo do Vale Rocha; campanha #soudobemdisco100 será lançada no mesmo dia

Com o objetivo de ampliar a discussão em todo o Brasil, o Instituto Liberta realiza a Fórum Exploração Sexual Infantil 2ª Edição. Neste evento, representantes do judiciário, ongs e outros especialistas no assunto vão debater as melhores práticas no enfrentamento da exploração infantil e também a necessidade de modificar a cultura do machismo, um dos agravantes do problema. O fórum acontece no próximo dia 18 de maio, às 8 horas, na Unibis Cultural, localizada na Rua Oscar Freire, 2500, Sumaré.

Paralelo ao Fórum, o Instituto Liberta lançará no dia 18 de maio a campanha #soudobemdisco100. Criada pela Cucumber Propaganda, a ação convida celebridades e influenciadores a se engajarem com a causa, divulgando em suas redes sociais a mensagem “Diga não à exploração sexual infantil”, para ampliar a discussão sobre o tema.

A exploração sexual de crianças e adolescentes não é um problema do Brasil, trata-se, infelizmente, de uma questão mundial, como aponta estudo realizado recentemente por organizações internacionais comprometidas com o tema e que resultou em um relatório de referência, o The Global Study Report on Sexual Exploitation of Children in Travel and Turism, que aborda a problemática sobre o ângulo do turismo sexual.

No Brasil, a exploração sexual de crianças e adolescentes tem números assustadores. Da mesma forma é assustador o desconhecimento da sociedade e, quando não nos deparamos com o desconhecimento, enfrentamos justamente a naturalização da situação.

Estamos falando de milhares de meninas e meninos que se submetem a uma vida indigna, que vai trazer consequências traumáticas quase insuperáveis. Diante deste quadro, entendemos que o papel do governo e da sociedade civil segue em duas direções: resgatar essas meninas e meninos que já se encontram nesta situação e, sobretudo, evitar que outros ingressam.

O estudo referido aponta para o fato de que uma das estratégias mais importantes para o combate à exploração sexual é justamente a conscientização social. Só assim conseguiremos chamar a atenção de todos e também “desnaturalizar” este comportamento perverso e criminoso.

Palestras dia 18 de Maio

Palestra: Abertura com Gustavo do Vale Rocha

Descrição: ministro de Direitos Humanos

Horário: Das 09:00 até 09:30

Palestra: MESA 1: Como modificar a cultura machista?

Descrição: Mesa com representantes do judiciário e ongs sobre como o machismo reforça a exploração sexual de meninas (as principais vítimas)

Horário: Das 09:30 até 11:00

Palestra: MESA 2: Boas práticas

Descrição: Representantes de ongs trazem exemplos de boas práticas no enfrentamento da exploração sexual infantil. Campanhas nas estradas com caminhoneiros, novas formas de ouvir o depoimento de crianças e adolescentes etc.

Horário: Das 11:30 até 13:00

cartaz

 

 

Comentários