17/06/2019, 08:54

Denise Cursino

Hospitais da Fundação Padre Albino colocam Catanduva entre as três cidades do Noroeste Paulista em captação de órgãos

Captação de Órgãos em Catanduva

Fonte: Márcia Bernardes – Marketing e Comunicação Fundação Padre Albino

Foto: Divulgação

Legenda: Da esquerda para a direita, Camila luzia Damiana Chieratto, enfermeira Coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar de Transplantes (CIHT), Carlos Eduardo Mancini Gomes, enfermeiro e Juliana Fachim, enfermeira. Todos membros da CIHT.

A Comissão Intra-Hospitalar de Transplante (CIHT) da Fundação Padre Albino colocou Catanduva entre as três principais cidades do Noroeste Paulista que realizam captações de córneas e múltiplos órgãos. A CIHT da Fundação Padre Albino promove o acolhimento e a abordagem com os familiares nos hospitais Emílio Carlos (HEC) e Padre Albino (HPA). A informação é da Organização de Procura de Órgãos (OPO), de São José do Rio Preto.

Em 2018, foram realizadas 141 entrevistas com familiares, sendo que resultaram em 87 doações de órgãos (sendo 66 captação de córneas e 21 de múltiplos órgãos). Entre as doações, tiveram de fígados, rins e pâncreas. Em 2017, foram feitas 48 entrevistas que se reverteram em 28 doações (no total de 10 de múltiplos órgãos e 18 de córneas).

De acordo com o setor, o aumento no número das captações o tema: ‘A Vontade é Sua. A Decisão é Deles’ que fizeram com que as pessoas debatessem sobre o tema mais abertamente. Em 2018, a maioria dos óbitos potenciais doadores foi do sexo feminino e uma das causas dos falecimentos foi Acidente Vascular Encefálico (hemorrágico ou isquêmico). “É importante ressaltar que a doação de órgãos é totalmente custeada pelo SUS, ou seja, a família não têm nenhum gasto para isso pois quem decide sobre a doação é a família. A grande parte de recusas é devido desconhecer a vontade do potencial doador. Isto somente será atenuado, quando todos os brasileiros tiverem acesso a informações e tomar esta decisão em vida”, frisou o coordenador da CIHT e da UTI do HPA, Prof. Dr. Jorge Luis dos Santos Valiatti.

O CIHT visa primeiramente o acolhimento familiar e a humanização na etapa do luto. “Após o consentimento inicia-se a corrida contra o tempo para realizar todo o processo de doação/transplante que é de alta complexidade. Os profissionais são treinados e capacitados para este trabalho”, explicou o responsável pelo setor. 

Captação de Órgãos em Catanduva

Comentários